]

O Distrito de Cruz das Posses

Origem No ano de 1866 já existia a pequena localidade que era chamada de Santa Cruz das Posses, onde residiam, além de outros, João Ramacioli e Pedro Abrão Além. Constram entre os seus primeiros proprietários rurais: Manoel Ferreira da Rocha ou Manoel Cristino, Antônio Nogueira Pupo, José Izaias Ferreira (Tenente Izaias) e Vítor Nogueira de Carvalho.
Em 1877, a eles se somaram: Joaquim Alves da Silva, João Gonçalves Valim, Manoel e Sebastião Luiz, Jerônimo Braz, Gonçalo de Alencar e Manoel Francisco de Carvalho, e em 1904, Horácio Correia de Carvalho, que adquiriu terras às quais denominou Fazenda Santa Cândida. 

Quando, em 1894, o capitão João Pedro de Andrade Júnior resolveu fixar residência em Santa Cruz das Posses tratou de atrair industriais, comerciantes e agricultores. Ele ajudou a fundar a Loja Maçônica Corações Unidos e criou o jornal O Distrito, além de ter liderado a luta pela instalação de uma escola e a construção de uma igreja.

Em 1896, com a elevação de Sertãozinho a município, Santa Cruz das Posses foi a ele incorporado como distrito. O capitão João Pedro de Andrade Júnior foi eleito vereador e liderou o movimento popular que em 1898 transformou Santa Cruz das Posses em Distrito de Paz. 

João Pedro de Andrade Júnior conquistou muitas outras benfeitorias para o distrito: a cadeia, a Santa Casa (nome dado à Sociedade Italiana de Mútuo Socorro), o Cartório de Registro Civil, o matadouro, o cemitério e a agência postal.

No dia 6 de maio de 1905, a Lei n° 80 denominou a Praça Cel. Francisco Schmidt, o Lardo da Matriz de Santa Cruz das Posses. Pelo Decreto-Lei Estadual n° 9.775, de 30 de novembro de 1938, o nome do distrito foi abreviado para Cruz das Posses, que permanece até os dias de hoje.



A base da economia do distrito de Cruz das Posses está assentada desde os seus primórdios na agricultura que, por sua vez, impulsionou a agroindústria, o comércio e a indústria.

No ano de 1905, quando o distrito de Cruz das Posses tinha uma população estimada em mais de 5 mil habitantes, destacavam-se entre os 150 estabelecimentos que possuía: cervejaria, padarias, fábricas de calçados, alfaiateria, carpintaria, ferreiros, açougues, oito fábricas de queijo, máquina de beneficiar arroz, farmácia e 11 casas de outros negócios, e também a Santa Casa, um jornal e a subintendência, cujo titular era o capitão João Pedro de Andrade Júnior. A escola mista preliminar ali instalada teve como primeira diretora a professora Alexandrina de Souza.

As sucessivas crises agrícolas pelas quais o município passou provocaram o êxodo de grande número dos moradores do distrito de Cruz das Posses e uma fase de estagnação e até retrocesso. Mesmo assim, muitas propriedades do distrito conquistaram posição de destaque e merecem ser citadas:
As fazendas Paineiras, Divisa e São Miguel, tendo sido instalado nesta última, por Francisco Schmidt, um engenho que deu origem à Companhia Albertina, importantíssima empresa do setor sucroalcooleiro.

A "Colônia Preta", apelido da propriedade de Honório Nery do Sacramento, Veríssimo da Cunha e Noé Luiz, alforriados por Henrique Dumont antes da libertação dos escravos, ali ergueram várias moradias, reconstruíram suas vidas, lavraram a terra, construíram uma capela e deixaram descendentes que ainda hoje a conservam, bem como às suas crenças, tradições e aptidões.

A propriedade é chamada atualmente Sítio São Sebastião e o apelido, por causa da etnia dos seus moradores, foi dado pelo fazendeiro Francisco, amigo e apoiador dos pioneiros.



O distrito de Cruz das Posses Na Atualidade

A construção de conjuntos habitacionais e de moradias particulares, além de outros equipamentos públicos e privados ligados à saúde, à segurança e à educação têm propiciado o contínuo progresso do distrito de Cruz das Posses, cuja população atual é de cerca de 13 mil habitantes.

Os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços instalados em Cruz das Posses são eficientes e diversificados. Na área educacional destacam-se os estabelecimentos públicos: Escola Municipal de Ensino Fundamental Elydia Carneiro da Rocha, Escola Estadual Dr. Isaias José Ferreira e as escolas municipais de Ensino Infantil Maria Rosa Motta e Santa Armelino Ramachotti.

As práticas esportivas, culturais, sociais e de lazer são realizadas no Centro Comunitário Aquático Horácio Eurípedes Ferreira, no Estádio Municipal Comendador Alcídio Balbo e na Biblioteca Pública Municipal Sonia Maria Mossin Garcia. 





Festa da Lapa

É tradição do distrito de Cruz das Posses a realização da Festa da Lapa. A crença no Senhor Bom Jesus da Lapa, cuja comemoração maior se dá no dia 6 de agosto, foi trazida para o distrito no fim do século XIX pela sra. Maria Marcolina e vem sendo mantida pela população e pelas autoridades religiosas.
Além da programação religiosa que se desenvolve durante vários dias que culmina com a realização de uma procissão, outros atrativos são oferecidos ao público: quermesse, shows, queima de fogos, leilão de prendas e vários tipos de diversão para crianças, jovens e adultos.